sexta-feira, 22 de julho de 2011

O QUE FAZER PARA SAIR DA POSTURA DE VÍTIMA, INFERIOR AOS OUTROS?





É comum encontrar pessoas que assumiram na vida, uma postura de vítima, uma coitada, uma desamparada...
Geralmente, a pessoa apresenta um comportamento reprimido e sem iniciativa, refletindo uma dificuldade de lidar com o mundo externo, em especial com as pessoas.
"Vítima" é a pessoa que se sente inferior à realidade, vê as situações apenas nos seus aspectos negativos, transferindo para as outras pessoas os seus problemas e a responsabilidade pelo que lhe acontece. Não percebe que ela própria é responsável pela sua vida, nos seus altos e baixos, nas alegrias ou tristezas, no bom ou ruim de sua vida.
Uma pessoa na postura de vítima sente-se uma coitada e sofredora porque condiciona a sua felicidade, a sua paz interior ou o seu comportamento, à ação dos outros, sejam eles amigos, familiares, cônjuge, filhos, pais ou colegas de trabalho ou ainda quaisquer outras pessoas com quem se relacione. E como as pessoas não agem segundo um padrão que "ela" ( a vítima) quer, ela se sente coitada face às pessoas. E usa isso como bode expiatório para sua acomodação no sofrimento, transformando a sua vida em uma grande lista de reclamações, opção mais cômoda do que fazer alguma coisa para solucionar ou resolver a situação.
A pessoa nessa postura de vítima joga o "jogo da infelicidade": sofre e gosta de fazer os outros sofrerem com o sofrimento dela. É a co-dependência do sofrimento: ela sofre e obriga com sentimentalismos e suas emoções, todos os que convivem com ela, a também sofrem junto. É um lobo em pele de cordeiro pois a vítima usa o próprio sofrimento para controlar o sentimento dos outros, para que os outros tenham pena dela e fiquem cuidando dela. Coloca-se como dominada, fraca, uma coitada, mas na realidade ela é dominadora e se sente forte agindo assim. Isso porque uma pessoa agindo como vítima tende a ser orgulhosa, mas com uma capa de humildade. Orgulhosa porque sofre de perfeccionismo, acha-se perfeita e "os outros", ah, os
outros é que têm que mudar, ela não! A vítima cria um mundo próprio e tenta enquadrar todo mundo nele.
Uma pessoa não nasce com essa postura de vítima, ela a desenvolve, por condicionamento social. O sentimento de vítima geralmente se instala antes de a pessoa se tornar adulta, em especial na infância. 
Esses são alguns aspectos do comportamento de vítima. Agora que tal você fazer a prova dos nove e ver se você age ou não, como vítima. Se constatar que você age como vítima, procure mudar, transformando a sua vida em algo mais significativo, desenvolvendo atitudes mais realistas frente às situações da vida, agindo com mais espontaneidade e naturalidade.
Esse desenvolvimento é uma tarefa individual, pessoal, sua. Procure ajudar você mesma para tornar-se mais disponível para a a vida, para a felicidade e harmonia e para a realização em cada momento. Você é o único responsável pelo seu próprio aprendizado e desenvolvimento como pessoa.  



fonte: editora-opcao

Nenhum comentário: