sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Não é chorando que se demonstra amor por Deus

 

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”. (João 14:21)
Gostaria de desconstruir neste post um pensamento comum que ronda nossas igrejas, especialmente entre aqueles que nunca decidiram se envolver demais com o serviço cristão ou que não acham tão relevante a necessidade de se santificar. Como o assunto é muito claro na bíblia, em poucas linhas será possível concluir esta “empreitada”.
Me refiro a forma com o qual nosso amor por Deus se manifesta.
Aparentemente, muitos irmãos acreditam que por frenquentarem cultos, levantarem as mãos durante o período de louvor, orarem fervorosamente durante as ministrações, participarem de eventos e shows gospels e coisas afins estão, com isso, revelando a Deus e aos homens que amam ao Senhor de verdade. Se por acaso aparecerem lágrimas, então o amor é quase perfeito.                                                                                                                                                            
Mas não foi assim que Cristo ensinou.                                                                                                                
As nossas práticas devocionais, a nossa freqüência nos cultos, as nossas lágrimas e a nossa aptidão para entoar cânticos com “ousadia” não demonstram amor, antes devem ser realizadas em conseqüência dele e não o contrário.                                                                                
 Quantas pessoas conhecemos capazes de choramingar por oras durante shows evangélicos, vigílias e cultos, mas que no dia seguinte retornam às suas práticas carnais?  
                                                                                         Jesus afirma sem deixar dúvidas: o que comprova o nosso amor por Deus é a obediência à Sua Palavra. A mesma Palavra que nos manda negar a nós mesmos, ajudar o necessitado, buscar a santidade, servir a Deus, não viver em busca de benefícios pessoais e sim o benefício comum a todos, ser puros, constantes, perdoadores, honestos, verdadeiros, servos uns dos outros e tantas outras coisas que, semelhantes a estas, formam o caráter de um verdadeiro cristão.
“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos”. (Jo 14:15)                                             
Ninguém jamais pode dizer que ama a Jesus sem que seja submisso à sua Palavra, obediente e praticante dela. Quem não obedece é um mentiroso quando diz que o ama, lembre-se disso.                                                                                                                                                                 
Cuidado irmãos, fujam do engano de que amar a Deus significa apenas chorar. Mais cuidado ainda com aqueles que colocam o amor por Deus relacionado ao dinheiro. Deus não busca dinheiro, o que Ele busca são corações quebrantados dispostos a adorá-lo continuamente com suas vidas, pois é isso que significa adorá-lo em espírito e em verdade (Sl 34:18; Sl 51:17; Jo 4:23-24).
Obedecer a Deus é obedecer à Palavra de Deus e não às palavras de seu pastor, apóstolo, líder, cantor gospel, professor da EBD ou blogueiro preferido, salvo se seus conselhos forem compatíveis com ela (At 5:29). Mas como saber se de fato são?
Lendo a bíblia, meditando nela dia e noite.                                                                                                                 
“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite”. (Sl 1:1)                  
 Portanto irmãos, vocês podem morrer assim se quiserem, mas se depender de mim não será por engano, mas conscientes, porque só ama Jesus quem O obedece!

Nenhum comentário: