terça-feira, 5 de junho de 2012

A Certeza Da Riqueza


 
Um jovem estava conversando com um homem de idade e o assunto era riquezas. O velho perguntou ao moço: "Quando um homem se torna suficientemente rico?" O moço respondeu:
"Quando ele tiver um milhão de dólares". O velho disse:
"Não". "Dois milhões?" "Não". "Dez milhões?" "Não". "cem milhões?" O jovem pensou que com essa quantia encerraria a questão. Mas o velho insistiu: "Não". O moço desistiu e pediu ao velho que lhe dissesse o quanto seria necessário para um homem ser suficientemente rico. O velho, então, respondeu: "Quando ele tiver um pouco mais do que já tem, ou seja, nunca."
É estranho verificar que algumas pessoas nunca julgam ter o suficiente do mundo. Elas sempre estão querendo mais e, por isso, não se sentem felizes. As pessoas que tem, verdadeiramente, Jesus no coração, mesmo que não tenham muito, crêem que têm o suficiente e, por isso, sentem-se alegres e satisfeitas.
O mundo oferece muitas coisas aos incautos. Estes, seduzidos, enveredam por caminhos que julgam serem os da felicidade. Mas ela não chega nunca, e nunca chegará. Cada objetivo alcançado exige algo mais. E quanto mais alcançam metas, mais metas ainda precisam ser alcançadas. Nunca estão e nunca estarão satisfeitos.
A riqueza de Deus é sentida tanto quando temos pouco como quando temos muito. Não importa a quantidade, a presença do Senhor nos torna suficientemente felizes. Se eu tenho pouco, sei que Deus me abençoará e o pouco será suficiente para alegrar meu coração. Se tenho muito, sinto-me especialmente abençoado e sei que poderei compartilhar a minha bênção com muitos outros. Sei que a salvação é a minha maior riqueza e eu poderei compartilhar a minha experiência com um número ilimitado de pessoas sem perder esse grande tesouro.
Não almeje riquezas incertas. Você será sempre rico quando estiver satisfeito com o que Deus lhe dá.
"manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a sua esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que nos concede abundantemente todas as coisas para delas gozarmos" (1 Timóteo 6:17).

Nenhum comentário: