terça-feira, 11 de março de 2014

O poder do perdão e da oração


Perdoei, não guardo mágoas, mas não o (a) quero mais”, é o que mais ouço das pessoas do mundo, que não conhecem e não vivem a vontade de DEUS.
Já perdoei e quero que ele (a) seja feliz”.
Esse, felizmente, não é o perdão bíblico ensinado pelo SENHOR DEUS; mas um perdão vazio, nulo, sem efeito e influência no reino do PAI.
Precisamos entender que o verdadeiro perdão se inicia no coração, mas que não fica restrito apenas a ele. Vai além do coração e das palavras e se transforma em atitudes.
Quando nos afastamos do SENHOR por causa dos nossos pecados; e depois nos arrependemos verdadeiramente, o SENHOR DEUS devolve o nosso lugar no corpo do Seu Filho JESUS CRISTO; voltamos a ser templo e morada do Espírito Santo. ELE não diz “Te perdoo, mas não quero mais relacionamento com você”. O nosso coração precisa ser igual ao coração do nosso PAI. DEUS pede que perdoemos incondicionalmente e quantas vezes forem necessárias para entendermos que, diante DELE, também erramos, pecamos e O desagradamos todos os dias. Ainda assim, também pedimos perdão inúmeras vezes e em todas, quando o nosso coração é sincero, ELE nos perdoa.
Quando alguém nos faz mal diretamente ou indiretamente, temos dever cristão de perdoar essa pessoa; e nunca espalhar contendas entre os irmãos. Sabe por quê? Todo escândalo promove tristeza no meio da igreja e no coração de DEUS. Mas uma pessoa, que causou algum escândalo, pode, sim, ser restaurada pelo SENHOR e ser transformada em um canal de bênçãos do nosso PAI. Tudo porque oramos por aquela pessoa e a perdoamos. Nunca se esqueçam das histórias de Davi e de Paulo. Davi causou muito mal aos olhos do SENHOR, promoveu escândalo no palácio, mesmo tendo sido ungido do SENHOR, mas ele se arrependeu (Salmo 51) e o SENHOR mudou a história dele, dando-lhe um coração puro.
Ao invés de atirar pedras e espalhar contendas, ore.
Ao invés de guardar rancor ou ira no coração, perdoe.
É infinitamente impossível o Espírito Santo fazer morada em um coração impiedoso, duro, sem misericórdia.
Já fui uma pessoa de me entristecer profundamente com os escândalos no meio da igreja. Hoje, quando observo algum, oro, clamo a DEUS pela transformação na vida daquela pessoa. Meu alvo é povoar o Céu e não satisfazer o inferno com contendas, falácias e intrigas. Uma pessoa, que hoje nos faz muito mal, amanhã pode ser um canal de bênçãos do SENHOR. E, nós, que nos consideramos mais santos e puros, poderemos estar no lixo da podridão.
O perdão é a maior expressão do amor de DEUS em nós.
Quem ama, perdoa. Quem perdoa, busca restituir o lugar que a pessoa ocupava antes.
Pode até ser que uma pessoa hoje não queira ou não esteja preparada para perdoar (se você fez algum mal a ela). Mas até isso é um lindo trabalhar de DEUS. Não desista da vida dela…
Quem perdoa está livre para receber a qualquer momento o perdão do SENHOR.
Quem espalha contendas, falando mal de outras pessoas, com o SENHOR não está e jamais pode ser perdoado por DEUS em suas transgressões (veja o que está escrito em Mateus 6:14-15).
O perdão é uma condição e depende inicialmente de nós. Não devemos esperar antes o perdão de DEUS em nossas vidas, se ainda não perdoamos o próximo.
Perdoar não só é apagar o passado ruim, mas restituir, devolver, prosseguir na caminhada ao lado daquela pessoa.
A igreja precisa descobrir o poder que o perdão e a oração possuem no mundo espiritual. Tanto para a libertação como para a prisão. A igreja precisa valorizar mais os joelhos no chão, ao invés da boca no mundo.
Silêncio, igreja!!
O que hoje é lixo, amanhã pode ser muito honrado (a) pelo SENHOR.
E o que se considera santo demais, estar no lamaçal do pecado e longe de DEUS…
Em CRISTO,

Obediência

A Bíblia diz que colhemos o que semeamos. A linha divisória entre o sucesso e o fracasso é fazer o que Deus nos diz para fazer. Oramos por frutos em nossa vida, mas nem sempre queremos orar pelas raízes. 
Se quisermos que nossos dias sejam bons, precisamos fazer o que Deus nos diz. Se não queremos caminhar em obediência, não podemos reclamar se nos envolvermos numa confusão. Se nos sentimos solitários e Deus nos diz para nos aproximar de alguém, mas decidimos que isso é muito complicado, então permaneceremos sozinhos. 
A obediência traz o fruto do Espírito em sua vida. Cave profundamente a Palavra de Deus antes que você perca suas bênçãos hoje.


segunda-feira, 10 de março de 2014

"Masturbação – de acordo com a Bíblia, é pecado?"

A Bíblia nunca menciona especificamente a masturbação ou afirma se a masturbação é ou não pecado. Entretanto, não há dúvidas de que na grande maioria das situações as ações que levam à masturbação são pecaminosas. A masturbação é, quase sempre, o resultado final de pensamentos sensuais, estimulação erótica e/ou imagens pornográficas. São com estes problemas que devemos lidar. Se abandonarmos e vencermos os pecados de luxúria e pornografia, o problema da masturbação vai se tornar algo de mínima importância.

A Bíblia nos alerta para que evitemos até a aparência de imoralidade sexual (Efésios 5:3). Não vejo como a masturbação possa passar neste teste específico. Às vezes, um bom teste para saber se algo é ou não pecado consiste em verificar se você ficaria orgulhoso de contar aos outros o que acabou de fazer. Se for algo do qual ficaria sem graça ou envergonhado se os outros descobrissem, muito provavelmente é pecado. Um outro bom teste é determinar se podemos, honestamente e de consciência limpa, pedir que Deus abençoe e use esta atividade em particular para Seus bons propósitos. Não creio que a masturbação esteja na categoria das coisas que possamos ter “orgulho” ou genuinamente agradecer a Deus.

A Bíblia nos ensina: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (I Coríntios 10:31). Se há lugar para dúvida quanto a algo agradar ou não a Deus, então é melhor abandonar tal prática. Definitivamente, em relação à masturbação, há lugar para a dúvida. “Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado” (Romanos 14:23). Não vejo como, de acordo com a Bíblia, a masturbação possa ser considerada como algo que glorifique a Deus. Indo mais além, devemos nos lembrar de que nossos corpos, assim como nossas almas, foram redimidos e pertencem a Deus. “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (I Coríntios 6: 19-20). Esta grande verdade deve pesar em relação ao que fazemos e até onde chegamos no que diz respeito a nosso corpo. Então, à luz destes princípios, definitivamente, devo dizer que a masturbação, de acordo com a Bíblia, é pecado. Não creio que a masturbação agrade a Deus, que evite a aparência de imoralidade ou passe no teste de Deus sendo proprietário de nossos corpos.