quarta-feira, 31 de agosto de 2016

6 RAZÕES PARA VOCÊ SEMPRE AGRADECER A DEUS


Vivemos tempos difíceis, onde prevalece o que é ruim e a luta pela sobrevivência vai consumindo o dia a dia do ser humano, fazendo com que ele viva cada vez mais estressado, tentando sobreviver neste caos.
Entretanto, a Palavra de Deus nos ordena que vivamos com alegria e que devemos agradecer a Deus por tudo, porém, a pergunta que precisa ser feita é: Como fazer isto diante de todas as dificuldades que temos de enfrentar diariamente?

Em primeiro lugar, é necessário que se diga que viver com alegria e agradecido por tudo é uma atitude que contraria, sobremaneira, a natureza do homem, ou seja, a inclinação natural do ser humano é o viver pela circunstância.
O que estamos tentando dizer é que, normalmente, vivemos de acordo com os acontecimentos do momento, isto é, se tudo está indo bem, então, estamos alegres, se as coisas vão mal, ficamos entristecidos.
Resultado de imagem para agradecer deus
Outra coisa que é preciso salientar é que a Palavra de Deus não está dizendo que devemos ser agradecidos por tudo o que acontece conosco, inclusive as coisas ruins, não é isso, pois o mal não provém de Deus.
O que é preciso estar claro, é que devemos ter a certeza de que, mesmo diante das coisas ruins que possam estar acontecendo conosco, devemos ser gratos pelo bem que Ele nos fará, mesmo no meio da dificuldade que possamos estar passando.

E é isto que os versículos que utilizamos como bases para este artigo estão nos dizendo, quando nos mostram 6 razões para sempre agradecer a Deus e vivermos em constante alegria.
O primeiro motivo seria pelo fato de que Ele é Deus, é o Senhor do universo e sempre estará no controle de todas as coisas, mesmo quando achamos que isto não está acontecendo.
O segundo seria porque Ele nos fez, nos criou à sua imagem e semelhança.
Resultado de imagem para agradecer deus
 O terceiro seria porque Ele sempre cuida de nós, mesmo quando achamos que isto não está acontecendo, isto é, quando as dificuldades são tantas que chegamos a achar que fomos abandonados.
O quarto seria porque Ele é bom e trabalha sempre em favor daqueles que Nele esperam.

O quinto seria porque Ele nos ama e o Seu amor é leal e eterno, ou seja, é um amor incondicional e que não sofre nenhuma variação, como acontece conosco.
E o sexto seria porque Ele é fiel e esta fidelidade sempre permanecerá por todas as nossas gerações.
Para finalizar, gostaríamos de salientar que dar graças e viver alegre, mesmo quando as coisas não estão indo de acordo com aquilo que esperamos, não é fácil, pelo contrário e muito difícil, mas este é o nosso desafio, e só será possível se crermos, realmente, que Deus está no controle de tudo e que jamais nos abandonará. Pense nisso e deixe o seu comentário.

domingo, 28 de agosto de 2016

Como o diabo age!

Coração de Mágoas

Numa sociedade cruel, egoísta e desesperadamente corrupta, é quase impossível não haver vítimas de traições sentimentais, econômicas, familiares ou religiosas.
Estupros, pedofilias, enganos, mentiras, infidelidades conjugais e amorosas, roubos e muito mais têm sido ingredientes para o surgimento de mágoas e ressentimentos.
A mágoa é o câncer da alma. Como semente maligna, rapidamente se espalha como fagulha na floresta seca, destruindo a imunidade espiritual e física.
O sacrifício, pela fé no Senhor Jesus Cristo, da oferta do perdão é o único remédio de cura física e espiritual.
Resultado de imagem para coracao magoado
Enquanto a natureza da alma vivente não se tornar espírito vivificante, o ser humano sempre estará sujeito a mágoas e ressentimentos.
Enquanto a pessoa não nascer do Espírito, manterá sua natureza terrena e, consequentemente, refém dos enganos e corrupções do coração de pedra.
Enquanto alma vivente, será escravo das paixões da carne. Por isso, é difícil não contrair ressentimentos e mágoas.
Daí a necessidade de possuir um novo coração. Coração de carne, coração de acordo com o coração do Espírito de Deus.

O SIGNIFICADO DOS 7 DONS DO ESPÍRITO SANTO


dons_DM Espírito Santo

01- Sabedoria: É o dom de perceber o que favorece e o que prejudica o projeto de Deus. Ele nos fortalece nossa caridade e nos prepara para uma visão plena de Deus. O próprio Jesus nos disse: “Quando fordes presos, não vos preocupeis nem com a maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer. Porque não sereis vós quem falareis, mas é o Espírito do vosso Pai que falará em vós” (Mt 10,19-20) A verdadeira sabedoria traz o gosto de Deus e de sua Palavra.

02- Entendimento: É o Dom Divino que nos ilumina para aceitar as verdades reveladas por Deus. Mediante este dom, o Espírito Santo nos permite perscrutar as profundezas de Deus, comunicando ao nosso coração uma particular participação no conhecimento divino, nos segredos do mundo e na intimidade do próprio Deus. O Senhor disse: “Eu lhes darei um coração capaz de me conhecerem e de entenderem que Eu sou o Senhor” (Jr 24,7).

03- Conselho: É o dom de saber discernir caminhos e opções, de saber orientar e escutar. É a luz que o Espírito nos dá para distinguirmos o certo do errado, o verdadeiro do falso. Sobre Jesus repousou o Espírito Santo, e lhe deu em plenitude esse dom, como havia profetizado Isaías: “Ele não julgara pelas aparências, e não decidirá pelo que ouvir dizer, mas julgará os fracos co equidade e fará justiça aos pobres da terra (Is 11,3-4)

04- Ciência: É o dom da ciência de Deus e não da ciência do mundo. Por este Dom o Espírito Santo nos revela interiormente o pensamento de Deus sobre nós, pois “os mistérios de Deus ninguém os conhece, a não ser o Espírito Santo” (1 Cor 2,10-15).

05- Piedade: É o dom que o Espírito Santo nos dá de estar sempre aberto à vontade de Deus, procurando sempre agir como Jesus agiria. Se Deus vive a sua aliança com o homem de maneira tão envolvente, o homem, por sua vez, sente-se também convidado a ser piedoso com todos. Na Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios ele escreveu: “A respeito dos dons espirituais, irmãos, não quero que vocês permaneçam na ignorância. Vocês bem sabem que, quando vocês eram pagãos, eram facilmente atraídos para ídolos mudos. Por isso eu lhes declaro: todo aquele que é agora conduzido pelo Espírito de Deus não pode blasfemar contra Jesus. Bem como ninguém poderá dizer convictamente Jesus é o Senhor, a não ser movido pelo Espírito Santo” (1Cor 12,1-3).

06- Fortaleza: Este é o dom que nos torna corajosos para enfrentar as dificuldades do dia-a-dia da vida cristã. Torna forte e heróica a fé. Lembremos a coragem dos mártires. Dá-nos perseverança e firmeza nas decisões. Os que estiverem dotados desse dom não se amedrontam diante de ameaças e perseguições, pois confiam incondicionalmente no Pai. Em Apocalipse vimos “Nada temas ante o que hás de sofrer. Por estes dias o demônio vai lançar alguns de vós na prisão, para pôr-vos à prova. Tereis tribulações durante algum tempo. Sê fiel até a morte, e te darei a coroa da vida” (Ap 2,10).

07- Temor de Deus: Este dom nos mantém no devido respeito diante de Deus e na submissão à sua vontade, afastando-nos de tudo o que lhe possa desagradar. Por isso Jesus teve sempre o cuidado de fazer em tudo a vontade do Pai, como Isaías havia profetizado: “Sobre Ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento. Espírito de prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor do Senhor” (Is 11,2).


sábado, 27 de agosto de 2016

Benignidade


 

A benignidade significa gentileza, doçura de temperamento, sobretudo com as pessoas simples. Diz respeito a pessoa que vai além da tolerância de não desejar o mal a ninguém, e da benevolência de querer o bem a todos.A pessoa que manifesta a benignidade possui uma disposição graciosa, a qual abrange ternura, compaixão e brandura, e flui da pureza interior.A palavra benignidade, no original do Novo Testamento, não significa apenas a qualidade de ser puro e bom, mas também, ser devotado a atos e atitudes bondosas.A benignidade nos predispõe a fazer o que é bom. Ela está estreitamente associada à bondade, isto é, à prática de ações benignas.O benigno é benévolo, suave, brando, agradável, não perigoso, nem maligno.A benignidade e a bondade são aspectos tão íntimos do fruto do Espírito que é difícil distingui-los. Quem é bom, também é benigno e vice-versa.Ambas originam-se do amor. A benignidade é amor compassivo; e a bondade, amor atuante, em ação.Estas virtudes, produzidas em nós pelo Espírito Santo, aludem ao nosso relacionamento com o próximo.A benignidade é o reconhecimento de que a personalidade humana é valiosa, devendo ser manejada com cuidado.A benignidade tem muito haver com misericórdia ou compaixão (Efésios 4.32). Esta virtude é uma dimensão do fruto do Espírito que não pode faltar ao cristão (Pv 3.3,4).A benignidade é a virtude que uma pessoa tem de fazer com que os outros se sintam à vontade em sua presença.
Resultado de imagem para agradecer deus

Ela também se caracteriza pelo esforço demonstrado por alguém para evitar que algum mal venha sobre os outros.Benignidade é o interesse que alguém tem em sentir o que seu próximo sente. Se o outro chora, o benigno chora; se o outro ri, o benigno ri; se o outro está angustiado, o benigno se angustia.Assim, em lugar de “não estar nem aí” pelo outro, o benigno se interessa não só pelas necessidades do outro, mas pelos seus sentimentos.Benignidade tem a ver com receptividade ao gesto do outro. Ela é calorosa na iniciativa de cumprimentar, na retribuição do cumprimento, da procura e do abraço.Ela tem a ver com o reconhecimento das qualidades e das ações do outro. Deve se expressar em aplauso, em elogio, em palavras de incentivo.Ser benigno é tratar os outros, como Deus os trata. É olhar para os outros, como Deus os olha.O modelo de nossa benignidade é o comportamento de Deus, que é benigno (Lucas 6.35). Ele é benigno porque Sua misericórdia para conosco não depende de nossa fidelidade ou de nossa gratidão (Tito 3.3,4).Deus é benigno por Sua obra de redenção. Somos salvos pela benignidade do Pai, ao nos dar Seu Filho, sem esperar nada em troca, para que nós tivéssemos vida.A Bíblia fala da benignidade de Jesus (2 Coríntios 10.1). É dessa Fonte que o Espírito Santo transmite a benignidade como fruto (2 Coríntios 6.6).A benignidade é dom de Deus, que podemos desenvolver seguindo o exemplo de Cristo e sendo ajudados pelo Espírito Santo.